Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2008
[02 de março de 2008]

Começou a se mover devagar, quase parando. Depois mais rápido, acelerou com força total. E foi. Tudo foi ficando cada vez mais pequeno, como se as ruas e casas fossem meros pedaços da imaginação. E assim as árvores e montanhas. Tudo ao alcance das mãos.

O mar parece parado, uma textura nebulosa, uma obra de arte infinita. As nuvens parecem sólidos algodões brancos, tenho certeza que posso caminhar nelas.

Na linha do horizonte infinito do céu, o azul e o alaranjado do amanhecer encontram-se e formam uma linha branca que vai muito além de tudo.

O sol é mais forte aqui, mais quente e mais vivo. O mundo cabe na palma da mão, mal viajei mais já me sinto viajada por completo. Não posso deixar de me emocionar.

As linhas dos rios, os relevos das montanhas, as ondas batendo na praia. Tudo parece congelado, uma pintura criada para que eu possa admirar. A sombra do pássaro voando acima das nuvens.

As turbinas, a cidade. As casas amontoadas, os caminhos confusos. Tudo mais próximo…
[08 de maio de 2007]

Desenterra de mim todo o desejo do mundo que escondi no peito apenas por medo de uma brisa mais forte. Quero livrar-me desse peso, sopro que asusta a alma. Em nada mais penso, em nada mais existo. Esqueço-me de lembrar e traio o pensamento fiel. Escrevo devagar mas gostaria que fosse rápido, tudo me sufoca. Ouço a mesma música por horas e tudo me sufoca.

Sinto um aperto no peito e a dor de existir é imensa. Sinto-me feliz, estranhamente feliz, como um pássaro voando em círculos para avisar que vai chover. Não sei pensar em mais nada além do fato de que vai chover. Continuo voando em círculos, feliz.

De repente, não mais que de repente, minha mão, papel e lápis fundiram-se. Doía escrever no início, como uma repulsa ao desejo. Suspiro, meu corpo vive a contradição de libertar-se sem deixar de se prender e o desejo continua pleno em meu coração. Achei que ia passar e aqui cabe uma confissão: não passou.

Não sei bem como devo estar. Minha letra mudou tantas vezes durante …