Pular para o conteúdo principal
[04 de maio de 2008]

Espero que saiba que o amor é delicado e a brisa o vai levando enquanto andamos de mãos dadas. Nos acompanha. Pense comigo e perceba que essas coisas todas não são meras coincidências, porque no final estamos no começo de tudo.

Estamos sujeitos a viver nossas vidas. Que fosse então antes do fim, antes de tornar os fatos meras alucinações. Tolices humanas, não nos sabemos depois de despertos. Preferimos acreditar nos olhos do que no coração, viver o mais fácil do que o imprevisível.

E o amor foi assim tão nosso que tornou-se difícil de acreditar.

Comentários