Pular para o conteúdo principal

Eu e Capitu

Já faz um tempo que venho pensado sobre registrar aqui algumas das coisas que assisto e leio - aliás, mais leio do que assisto. No entanto começarei falando da minissérie global "Capitu", que foi exibida de 09 a 13 de dezembro de 2008. Ainda vivo uma batalha interna para saber se gostei ou desgostei. De qualquer forma sinto que tal série deixou uma marca em mim, algo que não sei explicar bem em palavras.

Para quem não sabe "Capitu" é uma adaptação do livro "Dom Casmurro", de Machado de Assis. 2008 foi o ano do centenário da morte do escritor e, portanto, várias homenagens foram realizadas, incluindo tal produção da Rede Globo. Caso tenha interesse em ver a minissérie, basca visitar seu site oficial e assistir aos vídeos.

Machado de Assis é apaixonante, ao menos para mim. "Dom Casmurro" foi a primeira obra dele que eu li e estava muito interessada em saber como seria conduzida a série. Logo de cara tive um misto de suspresa e estranhamento, uma vez que a primeira cena se passa dentro de um metrô. Eis então que o nosso Casmurro começa a falar sobre suas lembranças de infância e adolescência. Em tudo há delicadeza e lindas imagens que passam certa tranquilidade - mesmo se tratando de um personagem nada tranquilo.

A trilha sonora é muito boa, vale a pena procurar pela música "Elephant Gun", tema de Bentinho e Capitu. Não perderei meu tempo falando sobre tudo era belo e perfeito visualmente, basta ver uma cena para comprovar isso. Falarei de impressões.
Se existiu uma personagem que ficou quase perfeita, na minha opinião, essa foi Capitu. Ela era ela, quase como a imaginava. Sempre gostei muito de Capitu, provavelmente por causa de sua forte personalidade. E aquela atuação estava tão nela, tão presente. Prima Justina tão caduca, Bentinho tão bobo... Mas Capitu plena. E em segundo lugar José Dias, no meio do caminho entre meu amor e ódio.

No fundo eu queria mais da Capitu, a queria mais presente, afinal a sinto mais presente enquanto leio o livro. E tenho certa tristeza em pensar que no final ficou quase claro que ela traiu Bentinho, já que Ezequiel era muito parecido com Escobar. Loiro e tudo mais. Para um leitor desavisado não ficou nenhuma dúvida sobre a infidelidade de Capitu, mesmo com a fala final de Dom Casmurro.

Para mim Capitu nunca traiu Bentinho. Ela não teria feito tudo o que fez para no final das contas traí-lo. Mas essa é uma pergunta que nunca será respondida - e a grande magia de "Dom Casmurro".

Comentários