Pular para o conteúdo principal
[26 de fevereiro de 2009]

Queria eu um caderno fresco, mas isso não tenho. Jogo umas palavras num rascunho qualquer, só para saciar minha vontade de livrar-me dela. Queria eu a mais poderosa das idéias dos sonhos. Fico aqui pensando apenas no que farei amanhã e depois. Viverei.

Penso na tristeza daquele que não se sabem e vagam pela vida pulando em busca da resposta. Os que não têm nem o prazer de conduzir as próprias escolhas, vivem pelo respirar simples. Que não sabem o que é ser-se para si com felicidade ao invés de atender aos caprichos de outros.

O amor por viver é algo lindo, porque mesmo quando cansa de ser-se ele se transforma, mas sem deixar de ser amor. E quem eu seria sem os pedaços que me faltam? A vida me explode, por mais serena que eu esteja. Ninguém sabe o que se passa no meu coração.

Comentários