Pular para o conteúdo principal
[03 de junho de 2009]

Só de pensar me corre um frio na espinha. Não só porque está realmente frio, mas também porque penso. Escondo todos os meus defeitos debaixo da roupa, mas quem me despir terá que aceitá-los. Vivo dessas coincidências, desses por acaso mal feitos no meu caminho. Não sei bem o que fazer com tudo isso, então continuo vivendo, não em busca de uma resposta, apenas aproeitando o vento que me sopra.

Comentários