Pular para o conteúdo principal
[18 de setembro de 2009]

Estou aqui há sei lá quanto tempo pensando em preencher esse espaço. Claro que eu poderia deixa-lo assim, em branco, e logo me esqueceria do tal vazio de agora. No entanto, como tenho mania com datas e horários - apesar de nunca respeita-los - decidi registrar esse instante-já (Clarice, me perdoe por esse plágio).

Sinto-me tão tranquila que tenho medo por saber que antes mesmo que eu note a paz me deixará. A tão rara sensação de nem muita tristeza e nem muita alegria - o equilíbrio, enfim. Sei muito bem tal silêncio, tal branco em minha mente será mera lembrança e, se algum dia eu voltar a ler essas palavras, talvez não as entenda por completo.

E a paz é tão grande que abraça o medo.

Comentários