Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2009

Memai 1º no ar!

Finalmente a edição 1º do Memai está toda no ar! Você pode lê-la tanto em PDF, através do site Issuu (http://issuu.com/jmemai/docs/jornal_memai_01) quanto diretamente da home page do Memai (http://www.jornalmemai.com.br). Deixo abaixo o sumário do jornal, com os principais assuntos abordados. Tenha uma ótima leitura!

ISSHIN DENSHIN: GATO WABI SABI
Lina Saheki explica o mistério do Wabi Sabi, um conceito nuclear na estética japonesa


YUGEN: O POLACO NEGRO ZEN
Célio Yano traça o retrato de Paulo Leminski, que 20 anos após sua morte, é um dos principais difusores do haicaísmo em terras brasileiras


SHI: HAIKU
PIMENTA COM
HAICAI ASAS
LIBÉLULA SEM
O poeta José Marins apresenta os cinco estilos de haicai vigentes no Paraná.


KARUMI: SUPER SENTAI
Danilo Hatori apresenta os seriados japoneses em que os heróis tem uma pequena ajuda de robôs gigantes


KARUMI: SHOUJO
Mylle Silva explica porque as revistas japonesas para adolescentes fazem sucesso aqui e lá


FU: FERNANDA…

Descompromissadamente

O fato é o seguinte: eu não consigo me matar. Por favor, não me entenda mal, eu apenas não consigo me largar de mim mesma. Há algo incrível que chamo de inquietação e isso faz com que eu me canse fácil de tudo e queira mudar a todo instante. O problema é que também não quero mudar para sempre, quero só mudar por uns instantes e depois desejo voltar ao início e vivo assim um ciclo interminável de quereres nunca realizados ao todo. Como tudo na vida, tem um lado bom e outro ruim.

É ótimo passar uns dias sem compromisso com nada, apenas consigo mesma. Passo do estágio de dúvidas para as certezas depois de três dias me alimentando de entretenimento barato. Depois da ativação prévia, minha mente fica pronta para imaginar e receber informações um pouco mais questionadoras, eu diria.

Sabe, muitas pessoas que se dizem "intelectuais" cometem o belo erro de fugir da TV, rádio, Internet ou tudo mais que é visto como cultura de massa. Na minha opinião tudo é aproveitável - na pior das h…