Pular para o conteúdo principal
[27 de janeiro de 2010]

Vivo com a morte de perto, a sinto com certa frequência. Sei que a qualquer momento algo pode me atravessar e furar meu corpo frágil. Sei que vou cair e que minha última conquista será morrer.

Por algum motivo sempre senti tal proximidade com a morte, como se fosse morrer cedo. Acredito que é por isso que sinto a vida com tanta força. Me é impossível negar que sinto a vida, as pessoas próximas. Sinto presenças e energias que não sei se todos sentem. Eu simplesmente sei distinguir as pessoas só por estar perto delas.

Tenho pensado na ruptura da vida com certa frequência e posso dizer que tenho mais medo de perder as pessoas do que de morrer.

Eu amo profundamente quem amo e essa é a única coisa que sei fazer, já que não sei expressar amor com precisão. E plageando Caetano, "em outras palavras sou muito romântico".

Comentários

Marilia Kubota disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Marilia Kubota disse…
...filme "Hanami", que está no Shopping Crystal. Ùnica sessão às 19 horas. bj
Marilia Kubota disse…
...o protagonista tem um comportamento semelhante a um personagem do conto sobre Tanabata, de "Kitchen". Muito legal, mas também a referência ao butô e aos sem teto.bj