Pular para o conteúdo principal

Eu li o Paulo Leminski


Algo maravilhoso aconteceu: eu conheci o Paulo Leminski. Naturalmente eu já tinha lido alguns livros dele (menos Catatau, parei nas primeiras páginas), mas nunca tinha me deparado com a figura dele. Infelizmente não tenho idade suficiente para tê-lo conhecido pessoalmente, porém me sinto muito feliz por ele ter nascido aqui em Curitiba.

"O Bandido que Sabia Latim", biografia escrita por Toninho Vaz, é um livro com personalidade. Acho que não preciso falar sobre o Leminski aqui, afinal não quero estragar a experiência de ninguém no caminho para a descoberta. Falarei sobre a biografia.

Ao falar de uma pessoa como Leminski o biógrafo tem que ser muito bom - nesse caso ele teve a sorte de conviver com biografado em questão. O que se deu então foi um livro cheio de força, esta advinda não apenas da história contada mas sim da maneira como foi contada. Vaz lançou mão de pitadas de humor e também de declarações pessoais sobre seus encontros com o poeta. E eu, que normalmente não "devoro" livros - gosto de lê-los aos poucos e vários títulos ao mesmo tempo - fiquei presa com esse bandido por alguns dias. Uma maravilha.

Eu, como curitibana e orgulhosa de minha terra, acho que "O Bandido que Sabia Latim" é uma leitura obrigatória para todos os que se dizem interessados por literatura na cidade das araucárias.

Agora, uma revelação: sou mais uma "tocada" por Paulo Leminski, não sei o que acontecerá comigo daqui por diante. Apesar da incerteza, aposto que acontecerá o melhor.

Não considero a grande descoberta do livro a vida do autor - afinal toda a vida é grande, basta ser bem contada. O que me encantou foi saber que ele fazia música e que várias pessoas já cantaram-lhe. Se quiser ouvir algumas músicas com letras de sua autoria visite o blog Playlist Pessoal (um ótimo blog, aliás) e baixe a compilação nomeada O Bandido que Sabia Latim.

Comentários

Marilia Kubota disse…
Leu a biografia de Leminski ? O Toninho estava no evento da Secretaria da Educação em que distribuímos o JORNAL MEMAI. Não mandei pro endereço dele pq achei que já tinha pego lá. Mas posso mandar. Agora é ler "Caprichos e Relaxos", "Agora é que são Elas" e outros clássicos.
Editora Vertigem ? Quem sabe, estava pensando em fazer um livro de poesia ou conto em baixa tiragem. beijão