Pular para o conteúdo principal

[20 de agosto de 2010]

Nas profundezas de uma vertigem, ela dormia e sonhava qualquer coisa magnifica da qual não se lembrará depois de acordar.
- Incrível, não acha?
- O quê?
- Como é bela enquanto dorme.
- A pessoa dormindo é a essencia de si mesma, é tudo de mais autêntico que possa existir.
- No sonho ela suspira.
- Suspira viva também.
- A moça ainda não está morta.
- As horas passarão e ela não despertará.
- Como sabe?
- Foi a escolha dela.
- Sonhará assim eternament?
- Quem sabe? Ficou no sonho tanto tempo que tem medo de voltar.
- Viver é realmente terrível.
- Sonho também é. Sonhar para sempre é uma dor insuportável. O problema dessa moça é voltar depois de sonhar demais. Pense que em algum momento, depois de desperta, ela terá que encarar os fatos de sua vida. Viver é sentir dor todos os dias. Descobrir-se vive, mas vivo mesmo, encarar esse fato com a profundidade que ele tem, é um caminho sem volta.
- Então essa moça nunca deve despertar!
- Não podemos interferir. Um belo dia ela acordará com a sensação de um sonho bom e por algum tempo quererá saber exatamente como foi o sonho. É isso que não podemos permitir nunca! O sonho é tudo o que ela quer e que nunca poderá ter, então devemos impedi-la de lembrar-se dele.
- E viver será menos doloroso enfim?
- Não. Viver será sempre viver. A dor, a angústia e a incerteza permanecerão dentro dela da mesma maneira.
- Tenho a impressão de que está tudo errado.
- E está mesmo, porque quando estiver certo nada nem ninguém precisará existir.

Comentários

Marilia Kubota disse…
Está bem, mas não tem ideias muito comuns ? Sobre Bela Adormecida, sonhos, etc. E terceiras pessoas não deviam comentar sobre sonhos de um sonhador.