Pular para o conteúdo principal

Angústia Construtiva

A angústia existe quando vivemos com amarras. Daí temos dores no peito, tensão nas costas, tonturas, dores de cabeça, energia demasiada para nada, porque estamos sem energia. Quando nos preocupamos com o julgamento dos outros. Quando pensamos que tudo aquilo que gostávamos de fazer é inútil e só gasta dinheiro.

Remédios, terapia, tudo uma grande loucura e ilusão. Não, não é que eu não fale, não é que eu não me expresse, não é que os conselhos são ruins. Sabe, estou morrendo a cada dia que passa, morro um pouco, estou sempre morrendo, eu sinto isso, só os inocentes não sabem que estão morrendo um pouco mais a cada segundo que passa.

Estou cansada de dar satisfações a todo instante, de olhar sempre a cara das pessoas, de não ter solidão em nenhum momento, de não poder ficar em silêncio com frequência, de não ter paz para escrever somente, de pessoas me cobrando coisas que eu não quero fazer. Preciso de um tempo parada, livre, alguém me dê tempo porque eu estou morrendo.

Não quero que você me entenda, na verdade eu prefiro que me odeie antes de me entender. Você me sabe um pedaço e eu nem faço questão que me saiba por completo. Se me quiser inteira terá que juntar todas as minhas palavras e tentar montar o quebra-cabeça que não se monta.

Sou uma escritora medíocre e iniciante. Não adianta fugir dessa verdade. Mas eu preciso disso, preciso escrever sempre, preciso loucamente, intensamente, preciso me entregar a isso por completo. Não posso fugir disso, eu sou isso, inteira isso e assim encontro todas as respostas. Tudo que respira me inspira, tudo que vive, que se move, tudo que existe, as nuvens fofas no céu, as dores no meu peito, tudo me inspira.

Já passou da hora de eu tomar um rumo, mas não um rumo de trabalho, ter muito dinheiro. Um rumo de estilo de vida, de busca eterna, de loucura interminável. Não quero ser o cara que escreve sobre literatura, estuda literatura, analisa idiotamente um texto que outro idiota escreveu. Eu quero ser o idiota do escritor, isso sim, o que mais se fode e mais se diverte.

Comentários