Pular para o conteúdo principal

Desconstrutiva

Já me cansei da vida regrada
De todas as coisas em seu devido lugar
De um mundo certo e certeiro
Das utilidades das gavetas
De pessoas que são números em pastas
Estou farta de tudo que é perfeito
Do cheiroso e bem vestido homem
Sempre cheio de amor e dinheiro
Sorridente lindo loiro alto olhos azuis
E que ainda sabe muito bem como agradar uma mulher
É advogado e que casar ter filhos
Serei sua escrava para separar suas gravatas por cor
Ah, tenho sono só de pensar

A minha vida é o abismo da bagunça
Dos papéis perfumados e cheios de lembranças
Da valorização dos detalhes
A desorganização nada construtiva
Um mar de muito de tudo
De todo samba que eu possa cantar
Porque eu quero a vida de um bêbado
Que anda torto pelas ruas um pobre
Um cara sem nada com o que se preocupar
Sem papéis para organizar
O artista que vive de cachaça e respirar
Me cansam as regras então me deixe bagunçar
Me permita existir sem padrão de nada
Não me obrigue mudar porque só terá meu ódio
Porque quando eu mudar já estarei morta de mim

Comentários