Pular para o conteúdo principal

[09 de junho de 2011]

Loucos. Loucos de amor, de desejo, de querer ter e não saber como. Loucos para chegar lá e mais além sem saber onde. Loucos Para ganhar muito, ganhar mais ainda e ainda achar pouco. Estamos todos loucos, uns que querem entrar e outros que querem sair. Descontentes, indecisos, medrosos, irredutíveis.

Sou uma louca que sofre por banalidades. Dei tantas voltas que virei uma barata tonta sem direção. Foi assim que decidi largar a minha carcaça e viver como uma lesma até o fim dos meus dias, deixando brilhantes rastros pelo caminho.

Ah, essa noite as palavras demoraram mais do que eu imaginava para sair desse coração vagabundo.

Comentários