Pular para o conteúdo principal

Discurso sobre o Amor

O amor não é único. Não acredito que ele possa ser um sentimento uno quando somos todos diferentes e amamos pessoas diferentes, coisas diferentes, animais diferentes, gestos diferentes.

O amor que está ao lado é diferente do que está no próximo cômodo. O amor do primeiro amor é diferente do segundo. O amor de quem está perto e de quem está longe. O amor que nos faz rir toda hora e o amor do silêncio. O amor de muitas idéias brilhantes e o das palhaçadas. O amor das palavras rabiscadas no guardanapo e o dos livros de autores mortos. O amor que acabou de chegar e o que sempre esteve conosco. O amor recém descoberto e o amor estruturado. O amor antes ódio e o amor sempre igual. O amor de luzes e o amor de escuridão. O amor que nos cega e o que nos abre os olhos. O amor material e o espiritual. O amor de quem podemos abraçar e o daqueles de quem apenas podemos recordar.

Pode ser uma única palavra, mas não múltiplos os significados. Se fosse tão simples assim não nos enganaríamos tão facilmente por amor. São muitos os amores e o mesmo amor muda constantemente. Somos todos ingênuos a ponto de pensar que os outros nos enganam - somente o homem pode enganar a si mesmo.

Eu amo tanto que quase sempre me sufoca.

Comentários