Pular para o conteúdo principal

[26 de julho de 2011]

Dentro da luz rósea me dizia: decidi te amar dentre todo o resto. Eu sentia aquela melancolia da desilusão, um vaso quebrado, eu rosa murcha, mas mesmo assim aceitei o que ouvira. Ele me pegou a mão e com seu jeito sem jeito foi mostrando o outro lado daquilo que eu nunca vira, a simplicidade de respirar e inspirar sem pressa nem ansiedade. Meu coração acelerado e o dele normal, qual o problema? Pensei em perguntar se eu era pouca emoção pra ele, mas aos poucos percebi que enxergava só a casca e na casca não vejo aquela emoção de dentro. Enxergar-se de dentro pra fora é fácil, problema é perceber de fora pra dentro.

Todos sempre clichê, sempre tão cheios de dúvidas e receios mas tão cheios de energia, continuam andando, trabalhando, gastando o que podem e o que não, correndo correndo. Olhando assim parece bem, tudo funcionando, ninguém fala sobre o que dói, só correm. Viver simples um dia após o outro simples viver. Se um dia as pernas param de correr, correr é necessário?

Vamos, esqueça isso. Viver é dormir e acordar, muito amor, pouco dinheiro e muita diversão.

Senti aquela vontade louca de congelar o tempo para viver um felizes para sempre.

Comentários