Pular para o conteúdo principal

Editora Simplíssimo E-books - A Decepção

Em agosto de 2011 ficou pronto o meu primeiro e-book. Desde pequena eu sentia vontade de ter um livro e, como no momento não posso ter um livro em papel, optei pela versão digital mesmo. Me lembro ainda que, durante o processo de editoração do livro, a editora Simplíssimo havia acabado de oferecer também o serviço de venda de livros nos sites da Livraria Saraiva e da Livraria Cultura.

Pois bem, ontem recebi o seguinte email:

A partir deste mês, estamos suspendendo as vendas dos ebooks produzidos para autores, pela Simplíssimo. Infelizmente os resultados que obtivemos com vendas ficaram abaixo das nossas expectativas. 

Triste.

Sei bem que estou longe de ser uma ótima escritora, sucesso de vendas, que o meu livro está cheio de erros de digitação, mas informar que os livros não serão mais comercializados da noite pro dia é uma falta de respeito, não acham? Veja só, a Simplíssimo é uma editora, o que as editoras normalmente fazem? Propaganda dos livros à venda. Pelo menos as editoras que também comercializam os livros.

E o planejamento à longo prazo, onde fica? Lembre-se que eles anunciaram o serviço há cerca de seis meses e desistiram dele porque não houve retorno. Ué, eles queriam rios de dinheiro com publicações mais ou menos e ainda por cima nunca divulgadas?

Era do interesse deles divulgar, se o negócio é dinheiro. Eles recebiam parte uma comissão por cada exemplar vendido. Para mim tanto faz, não fiz um livro para ganhar dinheiro, tanto que estou dando ele de graça para quem quiser ler. Mas me senti lesada.

Não aguenta os custos? Não ofereça o serviço. Não estrague os sonhos das pessoas assim. Se era uma editora que queria dar dinheiro, deviam ficar só nas palestras, ensinando como fazer e-books, já que é o que fazem de melhor. Agora, não comecem um trabalho que pode envolver fatores como os sonhos e interesses dos outros e parem logo em seguida.

Agora a editora Simplíssimo tem um selo de qualidade, parabéns, devem merecer. Cobram pelo menos 500% a mais por serviço prestado. Talvez valha, depende do cliente. Agora, acho que deveriam ter pensado melhor nos serviços que ofereciam ao invés de ficar pulando assim. Me faz pensar que talvez eles mesmos não acreditem que os livros vendam, já que não querem mais comercializá-los, não é mesmo?

Comentários

Marilia Kubota disse…
Que blogue estranho! Não consegui baixar o ebook pq perdi minha senha do twitter, eh eh.
Em relação a meu comentário, gravei uma entrevista para um podcast e minha voz saiu horrível ! Mas a promessa é gravar mais programas e ver se melhoro a performance.

beijos,
Mylle Silva disse…
Estranho porque mudei ou porque ficou estranho?

Eu te mando o livro depois, mas é bem provável que você já tenha lido quase tudo.
Anônimo disse…
Olá, Mylle! Meu nome é Sérgio Paulo. Também tenho interesse na publicação do meu livro. Poderia me enviar o seu para leitura e futuros contatos de interesse, caso surja algum? Gostaria de conhecer escritores que, como eu, também não se deram bem com essa coisa de publicação. Fico no aguardo! Caso você se interesse pode me contatar por meio do blog: momentumfilos.blogspot.com;obrigado!
Anônimo disse…
Tem uma editora chamada Fdigital que cobra 90 reais e coloca o seu livro na Ibookstore e também na Amazon, entre outras livrarias também.
Mylle Silva disse…
Bem, hoje eu já não acredito tanto mais em publicações de ebooks, por isso estou começando a pensar em um livro impresso mesmo. Quem sabe em breve postarei aqui no blog sobre um novo livro :)