Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

Quando o amor não cabe mais na mesma terra

Quem me dera
Ter todos que amo
Num mesmo espaço
Na mesma terra
A poucos metros de distância

Quem me dera
Poder reunir todos os amigos
Todos que foram bons comigo
Na mesma cidade
No mesmo tempo
E nos mesmos sorrisos

Quem me dera
Poder abraçar todos
Sempre que tivesse vontade
E fazer o bem querer
Atravessar as barreiras do espaço
Sem mar nem terra nem nada

Quem me dera
Não ter me dividido tanto
Picotado minha vida
Para não precisar amar de longe
Amar platônico
Amar lembranças

Quem me dera
Mas agora é tarde demais
O amor é o instante-já
Te digo agora ou nunca mais
Por isso, se eu não ver meu amigo amanhã
Espero que ele tenha entendido o quanto o amo.

[2012.03.24]

よりみち いち (Yorimichi I)

[2011.12.23] 

I was all alone going back to my room around midnight. The stars were bright and it was very, very cold. Almost Xmas, the winter coming and, for some reason, I wasn't mad being outside in such a weather. It was as if I could walk all night long, just enjoying the way, the lights, the fog and the cold wind.

There are some images that I want to care all my life and I want to tell you about them. They are my treasure, the real thing that keeps me walking day after day.

Five minute before, everybody was going back home, saying goodbye. That was the last time I saw some of them this year, but everybody were laughing, plying, joking and so on. I was very happy just for being there, sometimes understanding half, sometimes understanding more.

There are two things in life that we can not forsee: the bound with people and the last time you see a person. We can never know exactly the last time you see someone. Life has too many ways to happen and we can't prevent the last t…

IV Concurso de Composição Leoni - Minha Participação

Estou participando do IV Concurso de Composição realizado pelo artista Leoni. Cada participante deve fazer uma letra para a música fornecida, de acordo com a melodia, e enviar um vídeo. Já me inscrevi faz tempo, mas como em breve começarão as votações, decidi divulgar um pouco.

Quem gostar por favor compartilhe, curta, etc etc.



Insônia

De vez em quando as paredes
Parecem caçoar de mim
Na madrugada que não passa não
Essa lembrança não tem fim

E assim me olho no espelho
Entre dormir e acordar, sei lá
Na boca o amargo da manhã de frio
Sem você pra me adoçar

Quando paro no sinal
Penso não seria mal
Nossa foto na parede
Eu de branco, cê de verde
Se eu pegasse o telefone
Na agenda tem seu nome
Te diria que é bem capaz
De eu te querer ainda mais

Cada vez mais
Muito mas muito mais

E quase que sem perceber
Ouvi sua voz no gravador de som
Se eu chamasse logo, vem aqui
Talvez fosse muito bom

Quando paro no sinal
Penso não seria mal
Nossa foto na parede
Eu de branco, cê de verde
Se eu pegasse o te…

As pessoas corajosas na internet

Passei muito tempo escondendo o rosto enquanto escrevia, naturalmente por causa da timidez. Mas, de uns tempos pra cá, decidi me mostrar um pouco mais e comecei a assumir o eu ao invés de esconder o que estava fazendo. Apesar de adorar escrever na internet, muitas vezes esconder-se atrás de um outro nome ou se deixar bem escondido é uma saída: um apelido, um eu fictício, um ser virtual.

Escritores fazem isso desde o início dos tempos, assim como muitos outros artistas que usam pseudônimos ao invés de seus nomes do cartório. Eu mesma o faço. Mas o que quero dizer é que, a partir do momento que você se mostra como uma pessoa, com rosto, falando, se movendo, a recepção do que é dito se torna diferente. Afinal, é um ser humano, não um amontoado de material virtual.

Assim, ao mesmo tempo que pessoas com boas ideias se aproximam, outras que não tem nada melhor para fazer além de criticar também aparecem. A internet é um ótimo lugar para trocar ideias e se expressar, sem dúvida, mas muitos a…