Pular para o conteúdo principal

Eutanásia em cães - O último dia de vida


Qualquer assunto que envolva a vida de alguém especial é delicado, mas não posso deixar de escrever num momento como este. Estamos tão longe de certas situações, nossas mentes se afastam tanto de possibilidades horríveis - até porque não seria possível viver se pensássemos constantemente na morte ou no fim de tudo e todos que amamos -, só que é preciso refletir quando nos acontece.

Um cão, assim como qualquer outro animal de estimação, é um companheiro para a vida, com o qual partilhamos emoções, sentimentos e aprendemos muito a amar e respeitar como são. Suas particularidades, defeitos e qualidades que fazem dele um ser único que está sempre por perto e faz parte de tudo o que somos. Perder um amigo assim não é fácil.

Não é fácil mas está acontecendo agora.

Tobi é um labrador muito bonzinho que mora na casa do meu namorado. Mesmo com seus 9 anos de vida, tem pique de moleque cada vez que vê alguém da família ou quando sai para passear. É um cachorro sempre alegre, brincalhão, forte e esperto, capaz de abrir torneiras quando está com sede ou colher poncã (mexericas) do pé, descascá-la e comê-la faceiro, como o dono do mundo.

No final de março de 2012 surgiu um pequeno tumor na região do ânus do Tobi mas, como era um tumor externo e benigno, foi facilmente removido dali, com uma recuperação ótima. No entanto, cerca de três meses depois, um novo carroço surgiu, só que dessa vez internamente. Com o passar dos dias, o carroço aumentou e o veterinário confirmou o que se temia: era um tumor maligno.

Naturalmente o cachorro não é igual ao ser humano e o tratamento teria que se dar de maneira diferente. Entre remédios, castração - o tumor poderia ter sido causado por excesso de hormônios -, quimioterapia e corticoides, o tumor só fez aumentar, obstruindo quase que por completo a saída de fezes do animal.

Depois de algum tempo lutando contra o câncer, com muito amor, idas semanais ao veterinário, cirurgias, remédios e comida especialmente feita para ele, Tobi terá que ser sacrificado. Com tanto amor assim é muito complicado vê-lo agonizar até a chegada da morte natural. Um cão que te dedica a vida e que se esforçou até agora para não aparentar que está doente, realmente não merece sofrer assim.

O Tobi é um cão especial que viveu rodeado por pessoas muito boas que o ajudaram de todas as maneiras. Para alguns essa é a história de mais um cão doente que teve que ser sacrificado, mas eu, que estava tão perto, não posso deixar de registrar e dividir o que aconteceu com ele para que você não se esqueça de todo o amor que existe na relação entre nós e nossos animais de estimação. Estou certa de que os sentimentos mais puros que você será capaz de conhecer com certeza virão desses animais.

Por algum motivo nesse ano o pé de poncã não deu frutos.

P.S.: Enquanto eu escrevia este texto, não pude evitar as lágrimas e, toda vez que eu choro, minhas duas cachorrinhas, Luna e Maçã, vem me consolar. Eu sei bem que a companhia delas não será para sempre e por isso mesmo eu as amo muito agora e agradeço sempre por tê-las por perto.

Comentários