Pular para o conteúdo principal

A piranha sueca

Você está lá, meio que de bobeira, vendo TV com o tablet ou o celular por perto, ou quem sabe na frente do computador, insone, e não resta nada mais além de abrir aquela página maldita engolidora do nosso tempo chamada Facebook. Ah, como é bom ocupar o nosso precioso tempo com umas fofoquinhas de conhecidos, não acha? Dito isso, preciso confessar algo aqui: me considero um pouco stalker. Nada muito grave, não a ponto de incomodar as pessoas com isso, gosto apenas de ficar navegando em perfis alheios ou de conhecidos de longa data com quem perdi o contato. Em outras palavras, gosto de ficar bem informada sobre como as pessoas estão levando suas vidas.

Outro dia eu estava numa onda dessas e percebi que uma conhecida estava se despedindo demais de todos e que havia acabado de se casar. Só a parte do casamento já me deu um frio na espinha – imagina, será que, só porque casou, ficará trancada em casa, sem poder trabalhar nem sair com os amigos? Fiquei acompanhando uns dias o perfil dela (tipo novela mesmo), até que, finalmente, tive uma resposta: ela estava indo embora do Brasil com o marido! Mas ué, pra onde?

Aqui cabe um parênteses: as pessoas que visitam meu perfil devem me achar muito chata, porque quando eu publico algo é porque quero que os outros leiam. Não sinto muita necessidade de publicar cada instante lindo, cada risadinha, cada prato de comida, enfim, tudo o que faço no Facebook – ou em quaisquer outras redes sociais -, gosto mesmo é de fuçar nos perfis dos outros.

Fiquei muito curiosa em saber para qual país a menina estava se mudando, só que nem ela e nem as pessoas comentando nas fotos dela davam a resposta. Foi então que visitei o perfil do marido dela – um completo desconhecido – e me deparei com a foto de uma piranha junto da seguinte frase: “Peixes que mordem testículos apavoram nadadores suecos”. Um bom amigo do rapaz foi avisa-lo sobre esse perigo na Suécia!  NA SUÉCIA!

Viu, não preciso de muito para matar minha curiosidade, basta uma piranha sueca. 

Comentários