Pular para o conteúdo principal

Fluxo dormente

Às vezes, pouco antes de dormir, identificado um sentimento puro dentro do coração, que de tão bonito tenho dó de deixar de escrever porque estou cansada, o sono vem vindo, me invade aos poucos e esse amor relaxa todos os meus músculos, por último os do meu rosto quando percebo que estou sorrindo, e quando me sinto assim sempre parece que estou escrevendo mesmo que eu já esteja dormindo, desenhando as letras no papel e aproveitando cada pulsar do que chamo de amor borboleta, por ser colorido e efêmero, só acontece quando o mundo inteiro se apaga e eu continuo iluminando um cantinho por estar calma, tranquila e satisfeita com cada detalhe, até mesmo com os defeitos daquilo que me cerca numa espécie de aceitação plena, a calmaria depois de um grande prazer.

Comentários