Pular para o conteúdo principal

Zona de desconforto

Num piscar de olhos vi dezenas de caminhos ramificados diante de mim e fiquei com medo, logo eu que sempre abominei a rotina e me dividi em tantas, que me orgulhava em não saber o dia de amanhã, poder respirar tranquila e em seguida sair correndo até anoitecer, tive um medo diferente, nada desesperador, apenas prático, como se de repente a idade se multiplicasse dentro de mim e me agarrasse, as possibilidades se desmoronando enquanto estou amarrada na cadeira, nenhum músculo se move, congelo na zona de conforto, quando foi que me escondi assim? agora quero sair, como ser escritora sem ver gente, sem ouvir conversas no ônibus, sem vasculhar olhares de desconhecidos, sem sentir cheiros, ouvir vozes, sentir raiva, sair correndo, se perder, se achar e se perder para nunca mais se achar?

Comentários