Pular para o conteúdo principal

refração

quando pensei em me calar
o tempo chegou
e mastigou o que eu dizia
vomitou-me
um mar de ideias
em sopa de letrinhas
no qual nado nado nado
e nada acontece
afogo-me como um gato
que se escalda com prazer
sem prazo para submergir
sem subúrbios para explorar
e sem estripolias para polir

quando pensei em desistir
vieram anos e anos e anos
e mais anos ainda me mostrar
uma fresta no resto do fundo
dizendo que foi pouco quase nada
de um nado nada sincronizado
meus pedaços todos díspares
disparando em todas as direções
ações de pequenos berros diários
somados repetidos refratados
abandonando-me bem baixinho
para que ninguém perceba
quando eu me juntar

quando pensei no tempo
o silêncio chegou
e foi tão inútil
quanto cada palavra que já escrevi
cada ideia que transpirei
cada gesto para alcançar
cada sonho que cativei
sou tão pequena que até me envergonho
de tão plena me orgulhar
inflar correr bradar
a cada passo passa um espaço
entre eu e minha completa
inutilidade

Comentários