Pular para o conteúdo principal

Estruture, escreva e reescreva: seja um escritor que produz para ser lido

Este conteúdo foi produzido e enviado para os assinantes da newsletter Caixa de Ideias, do site Oficina de Escrita. Clique aqui e participe você também!


Oi! Quão criativo você se sente hoje?

Na semana passada ministrei uma Oficina de Roteiro para Histórias em Quadrinhos aqui em Curitiba. Falar sobre como escrever é de uma delicadeza sem igual para mim. Tanto pela timidez quanto pela organização das ideias, transmitir qual é o tempero que transforma o abstrato em real é um desafio.

Ouso dizer que não se ensina a escrever, apenas se transmite experiência. Assim como em Karatê Kid, a relação entre mestre e discipulo é marcada pelo aprendizado mútuo. A única diferença é que o mestre acumulou mais conhecimento, muitas vezes pelo acaso de ter nascido antes.

Mas então, qual é a utilidade de uma oficina de escrita? Assim como nas artes orientais, escrever é um caminho repleto de atalhos e ramificações - mas que, no final, desembocam no mesmo lugar. Sendo assim, o papel do mestre é mostrar ao aprendiz quais são os trajetos possíveis para atingir um determinado objetivo.

A questão é que, na caminhada como escritor, nenhum mestre deixa de ser aprendiz.

Meus alunos tinham cerca de 15 anos. Assim como eles, eu me sentia livre para criar com essa idade. Viaja por mundos, chorava com meus personagens, vivenciava a escrita com intensidade. No entanto, por mais que eu me identificasse com as palavras, nunca me dei a chance de estudar a escrita. Era apenas uma aprendiz sonhadora.

Apenas a partir do momento em que decidi estudar a escrita é que, de fato, comecei a dar forma ao meu trabalho. Escrever já não era mais como dar um tiro no escuro ou uma mera vávula de escape. Em outras palavras, eu amadureci como escritora.

Encontrar-me com os alunos durante uma semana foi como me olhar no espelho do passado. Eles estavam em busca de algo muito além de exercícios de escrita criativa ou estruturação de um roteiro. Eles queriam contar histórias. Suas histórias. Desenterrar as ideias do fundo da caixola e mostrá-las ao mundo. Ser uma voz ouvida.

E não é, afinal, esse o desejo de todos nós?

Para sanar a vontade de ser ouvido é preciso tirar as ideias da gaveta e se autopublicar. Se você tem dúvidas de como fazer isso, indico dois artigos bem interessantes.


Todo escritor precisa escrever. Cada dia sem praticar é como afastar-se do seu objetivo de propósito. Cabe a você decidir o ponto de virada da sua vida e começar a escrever agora.
Tenha uma ótima semana ;)

Mylle Silva

Comentários